Dinossauros, Pré-Atlântida e o Dilúvio

A mensagem a seguir foi transmitida pela consciência de A’avlan, um mentor da minha família de alma que muitos de vocês já perceberam nos trabalhos. Ele geralmente se apresenta como um tritão com um tridente dourado, colar de conchas, olhos azuis, corôa e cabelos grisalhos. Às vezes aparece também com a pele azulada em escamas. Para acessar esse texto, sugiro que coloquem o som de golfinhos ao fundo e encham um copo com água para beber após a leitura (para playlist, clique aqui). Meus comentários estão inseridos no texto abaixo em itálico. Aproveitem, com Amor. Estamos com o coração transbordando ao compartilhar essa mensagem e fazer esse contato.


Dinossauros, Pré-Atlântida e o Dilúvio

Saudações, amados irmãos. Pedimos que abram seus corações para que recebam as informações. O que vocês acessam nesse texto, além de palavras, são códigos de luz em dourado e outras cores diretamente do veículo aos seus corações. Permitam-se receber. Estamos aqui em diversas egrégoras amparando o seu trabalho. Alguns já acessaram partes disso mas queremos dizer que somos muitos mais do que vocês pensam que somos. Em número, somos muitos. Em consciência, somos Um.

O Amor permite a entrega. Por isso pedimos, mais uma vez, que se conectem à sua verdadeira história através de seus corações. Códigos de Luz estão sendo aqui impressos e vocês sentirão em seus corações os sentimentos que forem necessários para que seu ego integre esta Verdade. Outras partes de sua história serão comunicadas as seguir, nas próximas semanas. Ao que nos parece, tendo em vista que a Terra como coletivo tem livre arbítrio, o processo em relação às informações seguintes será veloz. Não deve demorar até que recebam as próximas peças desse quebra-cabeças. Alguns outros eventos devem levar mais tempo, alguns meses e anos. Muito está acontecendo e pedimos que abandonem a idéia de controle e a necessidade de saber antecipadamente os eventos que vão experienciar a seguir. Apenas recebam e lembrem-se que a presença é uma dádiva e também uma ferramenta, pois assim podem se conectar de forma mais clara e eficaz e também se entregar de coração a seus processos individuais e coletivos.

Iniciaremos a narrativa dos fatos partilhados até então. Vocês encontrarão resistências tanto vindas do externo como de vocês mesmos. Se entreguem. Em relação ao coletivo, sigam nossas instruções. Este trabalho está sendo feito em equipe. E, repito, somos muitos.

Um portal que revela parte da sua origem foi aberto e muitos receberam esse acesso, muitos adentraram e acessaram as informações ali disponíveis. O coração traz a resposta para tudo e por isso pedimos que abram seus corações para a história a seguir. Respirem profundamente três vezes e imaginem uma luz cor-de-rosa entrando pelo chakra coronário e surgindo então no centro do peito, do seu coração para fora, alcançando tudo à sua volta. Então, receba uma chuva de luzes douradas. Peça, invoque, a presença de seus amados guardiões/guias/família de alma se assim intuir. Daremos seguimento. Ao finalizar essa leitura, bebam água.

Meu nome é A’avlan. Apresento-me como um ser das Águas, o que vocês conhecem como tritão. Muitos de vocês já me viram e me apresento agora com a pele azulada. Vocês podem me ver em sua tela mental. Percebam que estamos disponibilizando tecnologias multidimensionais de várias formas e incluam isso em suas vidas a partir do chamado de seu coração.

O portal aberto no dia 21 de maio os leva a acessar a história de como tudo começou no planeta que hoje conhecem como “Terra”. Vamos voltar no tempo de forma linear para que possam melhor compreender mas lembrem-se que o mais importante para o processo planetário é o Agora e que múltiplas realidades acontecem simultaneamente.

(Nesse momento vejo códigos de luz em dourado e turquesa sendo impressos e recebo a informação que os outros os receberão em dourado e outras cores conforme o necessário e ideal para o seu campo).

Muitos de vocês foram trazidos das estrelas e outros gerados por Gaia. Vocês têm DNA híbrido. Trazem em seus códigos e registros as experiências pré-terrenas e tudo o que se deu a seguir em Gaia.

Ao chegarem neste novo planeta encontraram um lar mas sentiram saudade de casa. Muitos de vocês olham para os céus com saudades das estrelas de onde vêm. Vocês sentem a conexão com a natureza porque em outros mundos a vida é vivida em harmonia com o seu Lar. Gaia tem consciência. Ela é a consciência complementar. Gaia os recebeu como filhos e os acolheu em seu útero alguns na terra, outros no mar.

O planeta foi selecionado para receber diferentes experimentações feitas por diversas raças presentes no comando. Houveram, porém, divergências a respeito de como conduzir algumas dessas experimentações. Uma delas vocês conhecem como “Atlântida”. Outras, das quais ainda não se recordam, serão trazidas também à vocês.

O período pré-Atlanti foi um período de Luz. Vocês corriam soltos e nadavam em liberdade, aos poucos interagindo com Gaia, modificando seu DNA e preparando seus corpos para a constituição humana. O objetivo era que houvessem cruzamentos do DNA de vocês, filhos agora também de Gaia mas com DNA interestelar (muitos de vocês já trazem o DNA híbrido mesmo antes de experienciar a Terra, são cruzamentos entre diferentes raças que vocês recebem como “extraterrestres”. Partilharemos também essas informações com vocês em trabalhos futuros) com seres que Gaia viria a receber, os exilados de Capela. Esses deram origem a seus povos ancestrais na Terra, como os Egípcios.

Vocês foram criados em Gaia, nutridos por seu útero para que recebessem do seu DNA e então compartilhassem esses códigos com os irmãos vindos de Capela. Esses viriam para se iluminar, retomar à consciência, muitos sabendo que passariam por um período de “esquecimento” num primeiro momento. O mesmo com vocês, vindos de outras estrelas.

No período pré-Atlanti algumas questões começaram a surgir no comando a respeito de como conduzir o cruzamento entre as raças. Não estamos falando só de seres pré-humanos mas também de plantas e animais. Vocês trazem esses códigos também. (Recebo a confirmação do meu DNA ser cruzado com o de golfinhos). Algumas raças, entre elas os draconianos e alguns reptilianos foram deslumbrados a tomar o poder. A idéia não era obter poder supremo mas ter maior participação nas tomadas de decisões no comando. Neste momentos muitos de vocês já estavam em superfície, moldando seus novos códigos de DNA em total harmonia com Gaia. Sabiam de sua consciência e trabalhavam em conjunto e harmonia. Ela lhes abria espaço e transportava seus rios. Levantava montanhas e vales, tudo conforme sua necessidade. Vocês vivam em grupos, todos ligados à Gaia. Parte desse conhecimento se manteve nas civilizações a seguir. Mas antes disso, precisamos enfatizar a questão dos dinossauros.

Os dinossauros eram cruzamentos de animais da Terra (gerados a partir da contruibuição de Gaia com o seu DNA, partículas que se desenvolveríam em seres) com animais das estrelas. Cruzamentos assim como vocês, a diferença entre esses experimentos é somente em relação ao mental. No caso, ao quanto se relembram de sua Essência. Ou, melhor colocando, como se relembram. Vocês percebem, por exemplo, os gatos em total sintonia com o astral. Em seu DNA, trazem os códigos de felinos e por isso o seu físico. Os golfinhos trazem DNA de Sírius. Com vocês o mesmo ocorre mas em diferentes níveis de Consciência. Sobre os animais falaremos mais em breve. Os dinossauros foram, então, frutos de experimentos. E por sua velocidade e resistência física eram altamente visados para o cruzamento de códigos a serem aplicados em formas extraterrestre. O objetivo era otimizar sua performance. Alguns tinham, entre draconianos e reptilianos, genuinamente boas intenções. Não excluam essas raças pelo ocorrido. Bem sabem que muitos de seus guardiões e guias têm esse genética e forma. Seguimos. Outros, porém, viram nesse cruzamento a oportunidade de amplificar o seu alcance no que dizia respeito à participação dentro do comando. Como se fosse um poder de persuasão, uma “arma”, uma força maior. Os encarregados do projeto, então, decidiram por exterminar essa raça da superfície mas não por completo como consta a ciência da Terra. Alguns dinossauros e outros animais foram levados para mundo intraterrenos (estes, onde vocês têm origem) e ali continuaram a ser criados e até mesmo cruzados. Este trabalho é feito em laboratórios e naves. Partes de seu DNA é coletado em abdução depois são devolvidos a estes mundos. (Nesse momento vem na minha tela mental uma lula gigante que já vi em projeção, confirmando um exemplo de animal extinto que ainda existe no intraterreno, nessa caso na água). Alguns mitos sobre seres marinhos têm origem em experiências de contato com esses seres, contato físico de fato. Outros humanos tinham percepção mediúnica e registros de vivências anteriores e então contavam histórias. Esses animais, porém, existiam e existem então. Os dinossauros foram retirados da superfície e com eles outras formas de vida, inclusive plantas, para que um novo terreno se instalasse em seu planeta. A preparação deste terreno ocorria para que ali se estabelecessem as seguintes civilizações.

Então vieram a Lemúria e sucessivamente, Atlântida. Entre a “extinção” dos dinossauros e a Lemúria mais ocorreu em seu planeta, contaremos também a seguir, quando dermos continuidade ao trabalho. Gaia, como conhecida por vocês e pelos povos de Lemúria e Atlântida como Agartha, recebeu essas civilizações como uma mãe acolhe a seus filhos. Vamos, neste momento, concentrar nossa energia na história de Atlântida.
Em Atlântida, os seres híbridos das estrelas e de Gaia, vindos da mata e das Águas constituíram grupos, famílias. Vocês vivíam em união. O sentimento de zelo era por todos. Sintam essas informações em seus corações e percebam a familiaridade, assim sugiro. Vocês entregavam de si ao Todo e o Todo respondia igualmente. Gaia, então Agartha, era uma consciência acessada que agia em união e comum ressonância. Com o poder da mente e a intenção do coração (essa, a mais importante) vocês erguiam cristais. Verdadeiras construções surgiam do centro de Gaia, dos seus cristais, e eram erguidos e lapidados com a sua intenção, como canal, e então manifestados em formas de templos, moradias e outras estruturas para uso público, como centros de estudos e laboratórios. Vocês, junto à Gaia e com sua permissão, abriam espaço em meios às florestas sem causar destruição. Essa conexão com o planeta está sendo desperta em seus corações, vocês podem observar nos últimos anos os cuidados que têm sentido em tomar. São pequenos passos e algum tempo até que o coletivo vibre em Um, inclusive em Um com Gaia. Assim a chamamos, somos seus filhos. Coexistimos nós, os elementais, e vocês na Terra. Por isso nos sentem com tanta força. Somos famílias. Vocês vêm do nosso lar, de diferentes regiões mas de um coração em comum. Este é Gaia.

Ao decorrer da civilização Atlanti houve, devido outras dissonâncias no comando Estelar, mais disputa de poder. O que experienciam em Terra, em seus governos e mares (territórios, relações internacionais) é um reflexo do que muitos trazem em seus códigos, uma vez que cruzados com essas raças que faziam parte do comando. Hoje já não fazem, são como “anjos caídos”. Mas mais uma vez reforço para que não tenham pré-conceitos com formas e constituição de pele, corpo ou fisionomia. Muitos deles são Luz, irmãos queridos altamente necessários para a proteção da Terra nesse momento. Muitos atuam como guardiões, são grandes, vocês já os viram. Seguimos. Neste momento daquela civilização houve o grande dilúvio.

O dilúvio, para muitos, era a volta pra casa. Vocês voltaram aos céus (alguns aqui encarnados retornaram às estrelas em naves). Alguns sentiram saudade, porém, dos seus novos lares pois a eles entregaram seus corações. Hoje, agora, estão se recordando disso. De seus lares nas florestas e mares. Sintam a energia de sua família desses lugares. Estamos com vocês. Vocês são amparados e sempre estiveram. Em seu sono, são trazidos a nós. A parte de vocês que sabe o caminho de volta pra casa se encarrega disso e também de colocar em seu caminho na Terra os sinais e as mudanças necessárias para o seu despertar.

Muitas naves estão posicionadas ao redor da Terra emanando as frequências para a abertura desses portais e também auxiliando os trabalhos e o resgate coletivo. Traremos mais a seguir. Pedimos que se conectem conosco através de seus corações, com todos aqueles que lhes transmitem sensações de lar, confiança e esperança. Estamos com vocês, diferentes egrégoras, por uma Terra em União.

Somos das Águas. Somos as Águas.

Saudações, permaneçam na Luz.

Vibrem no mais alto e puro Amor.

Pela consciência de A’avlan